sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Escolher


Foi desta que chegou. Já há algum tempo que andava a espreitar e a apertar mas só agora é que se impos. Começa o tempo em que tenho que escolher. Escolher entre a saúde ou os estudos; entre comer aquilo que me apetece ou ir tomar café com os amigos. A crise já me tinha ameaçado e agora finalmente conseguiu tomar conta da minha vida.
O dinheiro sempre me preocupou. Tentei sempre gastar o menos possível, poupar ao máximo aquilo que tinha. E agora, mesmo poupando, tenho que escolher, por exemplo, entre ir ao médico ou ir a uma palestra na faculdade. E o problema é que eu sou péssima a fazer escolhas. Na realidade, poucas foram as escolhas que tive que fazer. Os meus pais conseguiam dar-me tudo o que precisava. Atenção que precisar é diferente de querer! Eu estou habituada a não ter que escolher entre duas coisas que preciso, quanto às que quero, a história já é diferente, porque nem tenho pais ricos nem exijo mais do que aquilo que sei que me podem dar.
Foi quando vim para a Universidade que as coisas começaram a piorar, com os salários em atraso do meu pai e o aumento das despesas. No entanto, no último ano e desde o desemprego que tem vindo tudo a piorar drasticamente. E eu aprecio imenso o esforço que os meus pais fazem por mim e é por isso que não sou capaz de lhes pedir que se esforcem mais. Não sou capaz de lhes pedir 15€ para a formação que preciso, ou pelo menos que me aconselharam muito a fazer;  ou de lhes dizer que vou ver um jogo de futebol terça-feira porque me deixei convencer e gastei 5€ que não devia ter gasto.

A vida está difícil. É isto que ouço as pessoas a dizer. É isto eu tenho dito. Mas só agora é que percebo a verdadeira dificuldade da minha vida. As escolhas.

Outubro de 2013

1 comentários:

paranoiasnfm disse...

A Vida, como nós a criamos, é uma porcaria... tudo gira à volta do dinheiro e é triste que assim seja!

Sei o que isso é, porque sou um pouco mais velho do que tu e percebi isso assim que tive a minha primeira bolsa de estudo no curso profissional que tirei. Do pouco que ganhava, já levava um corte de 75€ para as propinas, fui comprando algumas coisas com o meu dinheiro e, também, poupando, claro...
É uma gestão complicada, porque estamos rodeados de ladrões e, do pouco que se ganha, ainda tiram mais.
É tramado.

Beijinho grande :)