segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Funerais


Uma pessoa percebe que está a ficar "grande" quando começa a ir a funerais. Já não basta que a mãe ou pai vão em representação da família, mas nós também sentimos a necessidade de ir, por consideração ao falecido e/ou aos membros da família.
Ora, o que se sucede é que eu não tenho muita prática nestas coisas e nunca sei muito bem o que fazer (mas alguém sabe?). Para além disso, fico sempre com uma vontade enorme de chorar e de fugir a correr da igreja, o que me torna ainda mais inapta para estas coisas.

3 comentários:

lu de lúcia disse...

não tem de haver meia dúzia de coisas que devas fazer nesses momentos. apenas seres tu mesma, agires naturalmente. não há uma preparação lógica para a morte, nem para um funeral. apenas forças!

Pi Maria disse...

Deixa lá que eu fico com vontade de rir, o que é muito pior. Raramente vou aos funerais, não há esse costume em casa, só mesmo quando é alguém muito chegado da família.

Beijinhos

Paranoiasnfm disse...

É lixado...